O que esperar

Tratamento Não Invasivo e Progressivo

Ultherapy® é um procedimento não invasivo que aplica energia estimuladora do colágeno em um único tratamento, sem tempo de recuperação1,2. Alguns pacientes veem resultado imediatamente após seu tratamento, mas o pico de eficácia ocorre de 2 a 3 meses, ou até mesmo 6 meses, enquanto o colágeno novo vai sendo produzido para levantar e enrijecer a pele3.

Consulta Médica –  Ultherapy®

Antes de realizar o tratamento, marque uma consulta com um médico habilitado na tecnologia e possua Ultherapy® disponível em sua clínica para definir se você é elegível ao tratamento e para decidir quais áreas você gostaria de tratar.

Durante o Tratamento

Depois de limpar a pele, seu médico especialista em Ultherapy® aplicará um gel e colocará um transdutor de tratamento em contato com sua pele. O especialista utilizará a imagem do ultrassom para determinar o posicionamento ideal da energia de tratamento e, em seguida, aplicará energia ultrassônica microfocada sob a superfície da pele. Durante o tratamento, você sentirá a energia sendo emitida como “pontadas”, indicando que o processo de produção de colágeno foi iniciado.

Depois do Tratamento

Uma vez que não há tempo de recuperação com Ultherapy®1,2, você poderá retomar suas atividades cotidianas imediatamente após o tratamento ser concluído. Alguns pacientes ficam com a região avermelhada ou podem sentir um pouco de inchaço, formigamento ou sensibilidade ao toque2. Esses efeitos adversos são leves e temporários, e não devem interferir em suas atividades cotidianas.

FULL FACE1

Referências bibliográficas:
  1. Brobst, R.W., M. Ferguson, and S.W. Perkins, Noninvasive Treatment of the Neck. Facial Plast Surg Clin North Am, 2014. 22(2): p. 191-202.
  2. Fabi, S.G., et al., Evaluation of microfocused ultrasound with visualization for lifting, tightening, and wrinkle reduction of the decolletage. J Am Acad Dermatol, 2013. 69(6): p. 965-71.
  3. ALAM, Murad et al. Ultrasound tightening of facial and neck skin: a raterblinded prospective cohort study. Journal of the American Academy of Dermatology, v. 62, n. 2, p. 262-269, 2010.